Desenvolvendo a Inteligência Emocional na liderança e gestão de pessoas

Os grandes líderes nos mobilizam, inflamam nossa paixão e inspiram o melhor dentro de nós. Quanto tentamos explicar a causa de tamanha eficácia, pensamos em estratégia, visão ou ideias poderosas. Na realidade, porém, eles atuam em um nível mais fundamental: os grandes líderes agem por meio das emoções.

O líder e gestor possui o poder máximo de controlar as emoções de todos. Se estas forem impelidas para o lado do entusiasmo, o desempenho pode disparar, se as pessoas forem incitadas ao rancor e à ansiedade, perderão o rumo, Os efeitos da postura do líder vão muito além de fazer com que determinado trabalho seja feito. Quando o líder canaliza suas emoções do lado positivo, ele tira o melhor de cada um e gera ressonância. Quando as emoções são canalizadas de modo negativo, os líderes geram dissonância.

OBJETIVO

  • Aumentar o Coeficiente Emocional do profissional através dos conceitos dos domínio da Inteligência Emocional e suas respectivas competências.
  • Identificar a matriz de inteligência emocional do profissional através de exercício de auto e hetero percepção.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

1. Diferença entre QI – quoeficiente inteligência e QE – quoeficiente emocional

2. Níveis de Inteligência Emocional X interferência na função de gestão e liderança

2.1. Autoconsciência – conhecer as próprias emoções
2.2. Autogestão – saber lidar com as próprias emoções e pô-las a serviço de uma meta
2.3. Consciência Social – reconhecer o outro
2.4. Administração de Relacionamentos – lidar com os relacionamentos

3. Como canalizar as emoções na direção correta

4. Dificuldades de lidar com a IE na gestão e liderança de pessoas

5. Matriz de auto e hetero percepção do grupo sobre a Inteligência Emocional

6. Papel do Líder X Inteligência Emocional

6.1. Atuação ressonante: consequências
6.2. Atuação dissonante: consequências

7. Cases problemas e o uso da Inteligência Emocional